sexta-feira, 11 de setembro de 2020

1 mês do 1 ano e 11 dias

 

 Passou um mês! Parece que foi ontem que vos disse que ia começar o projeto do "1 ano e 11 dias e 1 biquini" mas já passou um mês. E tenho de dizer que este mês custou a passar, custou a fazer as refeições sem sair muito da linha e custou deixar de comer docinhos e porcarias todos os dias.

Depois, este mês de Agosto fui 5 dias ao Porto de férias e deixei a dieta de lado. Conclusão: engordei tudo o que tinha emagrecido. Por isso, este mês foi um mês atípico e só consegui emagrecer 2,7 kg. Julgava que conseguia emagrecer pelo menos 1 kilo por semana, mas com a ida ao Porto lá se foi o meu desejo.

Basicamente como de tudo, excepto hidratos de carbono, mas como fruta. Bebo 1,5 litros de água por dia e ainda não comecei as minhas caminhadas. Isso é que é pior. Sou uma preguiçosa do outro mundo!!! Mas para a semana quero ver se começo a fazer as caminhadas para conseguir emagrecer 1 kilo por semana. Era bem bom!

Se tiverem mais alguma dica, digam-me, estou ansiosa à espera!

Beijinhos e até breve!

segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Ponto situação dos 15 dias

 

Ora viva! Cá venho eu com as minhas novidades no novo projeto 1 ano, 11 dias e 1 biquíni. Comecei dia 11 de Agosto pelo que fez 15 dias que comecei esta minha aventura. Neste tempo emagreci 2 kilos. Já não foi nada mau! E como, perguntam vocês? Com as minhas 11 dicas que estou a escrever no meu livro e que vos vou contar aqui ao longo do tempo. Mas resumindo, deixo-vos o meu menu diário:
10h - pequeno almoço: iogurte e fruta
12h - lanche: gelatina ou queijinho
14h - almoço: salada ou legumes e proteína
17h - lanche: fruta e frutos secos
20h - jantar: sopa e 2 ovos, mas também pode ser igual ao almoço, eu é que tenho pouca fome geralmente
23h - ceia: um copo de leite

Parece simples. Mas às vezes é preciso paciência e esperar pelas horas para comer, porque dá uma fomezinha. Perguntam vocês onde aprendi este menu? Nas milhentas consultas de nutricionistas que fui. É verdade, já fui mesmo a muitos sítios e já fiz muitas dietas. 

Tenho apenas um dia em que posso comer hidratos de carbono e é quando aproveito para fazer a minha desgraça: uma pizza, um hambúrguer, sushi ou uma lasanha. E espero esse dia com toda a vontade durante toda a semana. Geralmente peso-me ao sábado de manhã e faço o disparate ao almoço de sábado. Mas esta semana, deu-me uma fome desgraçada de doces e hoje, segunda feira cometi uns pecados. Julgam que é fácil fazer dieta?! Pois não é, muito menos para quem está habituada a comer o que quer e o que lhe apetece. Mas pronto, amanhã é outro dia e logo vemos como me porto.

A foto é do almoço de hoje, salada de ovas (que adoro!) e couve flor cozida. Um almoço bem supimpa!

E por hoje é tudo! Esta semana vou de férias e também acho que vou fazer umas asneiritas, mas para a semana, prometo que entro nos eixos novamente!

Fiquem bem!

segunda-feira, 17 de agosto de 2020

1 ano e 11 dias e 1 biquini

 

 Cá volto eu para dar novidades... Desde a última vez que vos falei andei à procura das minhas massagens de emagrecimento à troca. E até consegui. Consegui um spa em Alverca mas não aceitei porque é muito longe da minha casa e ia gastar muito dinheiro em gasóleo. O problema das trocas é isso, não conseguimos as trocas para as zonas geográficas que nos convém. É um grande problema! Por isso, ainda ando à procura. Se souberem digam-me alguma coisa! :)

Mas não estou parada, tomei uma decisão de fazer um novo projecto: 1 ano e 11 dias e um biquini. Pois bem, como sabem desde sempre tive problemas com o peso. É uma constante na minha vida e muitas vezes consigo emagrecer, mas não consigo manter. Não tenho disciplina suficiente e isso é muito constrangedor. E por isso, agora que não tenho nada para fazer, que estou desempregada, posso ocupar-me de um novo projecto. 

Comecei dia 11 de Agosto, como não podia deixar de ser, cá vem o nosso amigo 11. E comecei também a escrever um livro com a minha história de vida e a contar tudo o que já aprendi nos inúmeros livros de nutrição que já li. Já li tanta coisa, que vocês nem imaginam. Por isso, decidi por isso tudo num projecto e num livro. Espero conseguir editá-lo.

Vou começar a contar-vos o que vou fazendo e vou partilhando aqui as novidades. Preciso de emagrecer 33 kilos (3x11... lolol)

Por agora, ponho aqui uma fotinha de quando eu estive magra. É aí que quero chegar. É mais motivador do que por a foto do meu agora, que é bastante lastimável. :(

E por agora é tudo. Até breve com novidades fresquinhas.


terça-feira, 28 de julho de 2020

Voltar às trocas?

 Já há algum tempo que não vinha aqui. Muita coisa se passou e a vida que passa a correr, na correria dos dias parecia que não havia tempo para vir aqui, ou melhor parecia que não havia nada para dizer aqui. Pelo menos dizer coisas que tivessem a ver com as trocas.
Pois bem, neste tempo todo voltei a trabalhar. Na labuta do dia-a-dia, a vida ia passando com muita coisa para fazer e voltei novamente a ficar habituada a gastar dinheiro, dinheiro esse ganho por mim. É bom, ter dinheiro no bolso, e poder comprar em qualquer lado o que nos apraz. Nas trocas, só podemos consumir nos sítios que nos fazem trocas. 
Muita coisa mudou, com o COVID fiquei desempregada, felizmente ainda tenho subsídio de desemprego por uns tempos e isso é bom, mas procurar emprego nesta fase é bastante complicado. Já fui a entrevistas, mas a procura é muita e a oferta é pouca e por isso, acho que vou ficar desempregada durante um bom tempo.
Mas com isto, pus-me a pensar, a pensar.... E como sabem não consigo estar parada e por isso, ando a pensar em voltar às trocas. Desta vez, são mais trocas por necessidade do que outra coisa, mas também é uma forma de me desaluviar a cabeça e de estar entretida, porque isto de só enviar CV's já me está a consumir a cabeça.
Então a minha próxima troca, são tratamentos e massagens de emagrecimento. Pois, continuo na luta do emagrecimento, como não podia deixar de ser.
Por isso, se souberem de alguma clínica ou spa onde façam a troca comigo, avisem por aqui, sim?
Estou com alguma nostalgia de voltar às trocas. Já tinha saudades de tudo e de vocês também.



sábado, 17 de junho de 2017

Aceitar que se vive no Cacém! (Ups, Agualva!)


Hoje em dia, viver nos subúrbios e aceitar isso, não é fácil! Frequentemente tenho amigos que dizem que vivo longe, que o lugar é feio, que as pessoas são feias e que tudo está sujo e desarranjado. Têm medo da violência, de andar de comboio e de serem assaltados. 

Demorei muito tempo a conseguir dizer publicamente que vivia no Cacém e não em Sintra, quando alguém me perguntava onde morava. De qualquer forma também não vivo no Cacém. Vivo em Agualva, que é do outro lado da linha do comboio, do outro lado da ribeira. Basta conhecer a Avenida dos Bons Amigos (que lindo nome!) e a única coisa que têm de saber para virem a minha casa, é que é só virar à esquerda, como quem vai para o lado do coração. Vivo aqui porque há 40 anos (e há 40 anos viver aqui era bem bom) o Cacém era perto de Lisboa, era calmo e ainda tinha muitas vivendinhas bem bonitas. Foi a escolha dos meus avós, comprar aqui a casa. 

Vivo aqui há uma vida... já saí e já voltei e é sempre para esta casa que regresso. Vivo num rés-do-chão, não tenho grades nas janelas, ponho flores ao sol e sempre que estendo roupa, nunca nenhuma peça me desapareceu. Nunca me aconteceu nada... Esta é uma casa com história, passado, memórias... com partes boas e más.

Sempre quis viver noutro sítio... a minha escolha seria o Chiado (claro!) ou uma praça que há perto de Alcântara, que me faz sempre sonhar quando olho para um prédio com águas furtadas.

Lisboa é o centro de tudo. Hoje em dia é quase o centro da Europa, de tão na moda que está. E foi aqui que comecei a pensar se quereria mesmo mudar para Lisboa, logo agora que há mais turistas que "pessoas".

Depois de muito tempo, consegui fazer algumas obras e redecorações na minha casa. Hoje ela é mais minha. Está prática e funcional e um T1 chega-me perfeitamente, nem que seja para limitar o número de coisas que tenho. Tornei-me mais simples, com menos e mesmo assim, acho sempre que tenho demais.

Hoje sinto-me bem na minha casa. Ainda mudava algumas coisas, mas nada de preocupante. Frequentemente apetece-me levantá-la do chão e colocá-la num terreno relvado onde pudesse ter uma corda para estender a roupa ao sol e onde a minha cadela pudesse correr... mas isso não é possível. Possível é gostar de aqui viver. Gostar que os meus vizinhos (que conheço desde bebé) parem na minha janela para me cumprimentarem (ainda hoje isto aconteceu!). Gostar de ter SEMPRE lugar para estacionar o meu carro, na minha praceta a todas as horas do dia. Gostar de colocar coisas pesadas na janela da sala, para entrarem em casa, sem ter de entrar pelo prédio. Gostar que uma vizinha do prédio do lado, que nem sei bem quem é, grite do último andar e me pergunte: "Oh menina já anda sem muletas, está melhor?!". Gostar das laranjas que o meu vizinho traz da aldeia. E é assim que vou gostando de tanta coisa.

Todos os dias ouço os passarinhos aqui nas árvores da minha praceta. Às vezes oiço o amolador e outras vezes até há um senhor que toca acordeão no meio das pracetas para nos animar.

Esta semana tenho acordado cedo e aproveitado para fazer caminhadas matinais, no percurso pedestre junto à ribeira... Está lindo e bem cuidado! E fico maravilhada com as flores violetas, com as heras, com os patos reais, com os pombos, com a manutenção do jardim e com o equipamento desportivo que há, mas também com a quantidade de gente bonita que corre de manhã e também a quantidade de gente simpática que passeia com cães lindos de morrer!


Hoje já gosto de viver no Cacém (ups), Agualva... A Junta de Freguesia tem-se esforçado muito por melhorá-la. Há graffitis gírissimos autorizados, há caixinhas em algumas pracetas para abrigar os gatos, há um senhor arrumador de rua que tenta manter o chão limpinho e finalmente o jardim da minha praceta que tinha sempre lixo, tem flores brancas bem bonitas.

Se gosto mais de viver aqui?! Gosto! Se gostava de viver em Lisboa? Gostava! Contudo, aprendi a aceitar e a gostar do que tenho e tem sido mesmo uma agradável surpresa!

A única coisa que sinto mesmo falta... é de gente perto. Gente, que é a minha gente... Mas para essa gente, eu estou sempre longe... nem que o longe seja 30 minutos de comboio: "Epah ir ao Cacém... nãaaaaaaaaaaa..."